Assassino de mulher que teve ossada encontrada em São Luís é condenado a 8 anos de prisão

Os jurados do 1º Tribunal do Júri de São Luís condenaram José Ribamar Silva Saraiva a 8 anos, 2 meses e 4 dias de prisão pela morte de Elayne Ingridy Diniz Pereira.

O crime aconteceu entre 16 de abril, quando Elayne Ingridy Diniz Pereira desapareceu, a 26 de agosto de 2019. De acordo com a denúncia, após quatro meses do desaparecimento, a ossada da vítima foi encontrada em uma área de matagal na Avenida Jerônimo de Albuquerque, em São Luís. A identificação da ossada só foi possível por meio da arcada dentária da vítima.

Ainda de acordo com a denúncia, a vítima estaria se relacionando com o réu, José Ribamar Silva Saraiva. Na denúncia, ainda consta que no dia do desaparecimento de Elayne Pereira foram efetuadas 14 ligações entre ela e o réu.

José Ribamar Saraiva foi condenado pelo crime de feminicídio, com as qualificadoras de traição ou emboscada e ocultação de cadáver, sem direito de recorrer em liberdade. O réu vai cumprir a pena inicialmente em regime fechado no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, onde já está preso desde 2019.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *