Júlio Mendonça coloca agricultura familiar do Maranhão em destaque

Enquanto o Crogresso aprova uma imoralidade chamada “Fundão”, que passou de R$ 1,8 bilhão para R$ 5,7 bilhões, a agricultura famíliar sofreu duros cortes no orçamento. No mês de Abril o Congresso aprovou projeto de Lei, deixando de fora R$ 1,3 bilhão de subsídios do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), foi o maior corte de verba dentro do Orçamento da União de 2021.

Mesmo com toda importância da Agricultura Familiar que é o setor responsável por 70% dos alimentos que vão para mesa dos Brasileiros,o governo Federal insiste em desvalorizar a classe; e o Maranhão que é o terceiro estado com a maior concentração de famílias agricultoras da região Nordeste e o quinto do país, precisa “se virar” para fortalecer o setor.

A frente da Agência de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural, Júlio Mendonça vem encarando o grande desafio de efetivar políticas públicas inclusivas que incentivem a produção e comercialização da agricultura familiar no estado. Em um momento delicado como esse, o Plano “Mais IDH” executado pelo Sistema SAF, para  combater a extrema pobreza e promoção da segurança alimentar da população rural nos 30 municípios com menores Índices de Desenvolvimento Humano, veio como um divisor de águas.

O projeto criado em 2015, teve como um dos idealizadores, o atual presidente da Agerp. Na época, Júlio Mendonça teve um papel importante na criação do Mais IDH e agora carrega a responsabilidade de executar. A Agerp tem se movimentado, o órgão saiu no anonimato e nesse ritmo, Júlio que tem visitado diariamente associações e cooperativas em todo estado, vem colocando a agricultura famíliar no papel de destaque que merece, explorando seu potencial e de forma estratégica fortalecimento o mercado interno.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *