Mãe e irmã de Mariana Costa foram ouvidas no terceiro dia de julgamento de Lucas Porto

No terceiro dia de julgamento de Lucas Porto, cinco testemunhas foram ouvidas.
Entre essas testemunhas estavam a médica perita, que analisou roupas da vítima onde foi encontrado sêmen, entretanto, não havia uma determinação de a quem pertencia o material genético. Durante depoimento a médica admitiu que as informações que constam no laudo de Mariana Costa não são suficientes para comprovar que aconteceu o crime de estupro e que a autoria foi de Lucas Porto.

Também foram ouvidas: Larissa Pinto, prima do marido da vitima, Marcos Renato; Flor de Liz, mãe de Mariana Costa e Carolina Costa, irmã da vitima.

Em depoimento, a prima do viúvo disse que Mariana se demonstrava ser uma pessoa muito carismática, que tinha muito apreço pela família e era muito apaixonada pelo marido. Já Carolina Costa ao ser questionada sobre uma suposta relação extraconjugal entre Mariana e Lucas, a mesma negou que a irmã tinha algum envolvimento amoroso com o ex- marido Lucas.

A mãe da vitima foi a última testemunha do dia, Flor de Liz afirmou que Mariana e o marido passaram por momentos difíceis, mas que a filha não tinha um relacionamento com o ex-cunhado e que os dois não eram próximos.

A sessão será retomada neste sábado (3) e deve ser concluída ainda hoje.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *