“Cearense”, apontado como mandante da morte de Pacovan, comprou carro usado no crime via PIX, revela polícia

Foto Reprodução

A Polícia Civil do Maranhão anunciou avanços significativos na investigação do assassinato do empresário Josival Cavalcanti da Silva, conhecido como “Pacovan”, ocorrido no Posto Joyce em Zé Doca. Graças ao rastreamento de um veículo crucial, um Fiat Siena Essence 1.6 preto, ano 2015, placa PMZ8317, as autoridades identificaram os supostos mandantes do crime.

O carro foi adquirido por Francisco Heydyne do Nascimento, conhecido como “Cearense”, através de uma transação de R$ 11.500,00 via PIX. “Cearense”, junto com sua esposa Fernanda Costa, ex-gerente do posto e ligada diretamente a “Pacovan”, foi apontado como mandante do assassinato. Ele também facilitou a fuga dos três criminosos responsáveis pelo homicídio, utilizando uma Toyota Hilux de vidros espelhados, pertencente a uma locadora de Capanema-PA, também adquirida por ele.

Durante uma coletiva de imprensa realizada na noite de quarta-feira (10), na sede da Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA), o delegado Jeffrey de Paula Furtado, da Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP), detalhou os desdobramentos da investigação. Foi confirmado que “Cearense” comprou e posteriormente queimou o Fiat Siena em uma estrada vicinal após o crime.

Francisco Heydyne e Fernanda Costa foram presos ainda na quarta-feira (10), em um hotel localizado na Avenida Litorânea, em São Luís. Os mandados de prisão foram expedidos pelo juiz Marcelo Moraes Rego de Sousa, da 1ª Vara de Zé Doca, resultado das investigações conduzidas pela Delegacia Geral de Polícia Civil, com apoio da SHPP e do Serviço de Inteligência da Polícia Civil.

Polícia prende em hotel de luxo em São Luís casal envolvido no assassinato de Pacovan

Fernanda e o namorado “Cearense” e Pacovan

Atendendo a uma ordem judicial, policiais civis da Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP) efetuaram a prisão de Fernanda Costa e do namorado dela, o madeireiro Francisco Heydyne do Nascimento, conhecido como ‘Cearense’, em um em um hotel na Avenida Litorânea, em São Luís, no fim da tarde de hoje, dia 10 de julho. O casal teria envolvimento com a execução do Josival Cavalcante da Silva, o Pacovan, ocorrida no mês passado no município de Zé Doca, dentro de um dos postos de combustíveis pertencente ao empresário.

Conforme investigação da PCMA, Fernanda que era ex-funcionária da vítima movimentava muito dinheiro em transações financeiras autorizadas por Pacovan durante mais de uma década. Ela desempenhava várias funções, incluindo a realização de pagamentos e a entrega de dinheiro em espécie. Portanto tinha um conhecimento íntimo sobre Josival sabendo quem eram seus inimigos, quem estava endividado e quais políticos, com ou sem mandato, tinham negócios com seu chefe. Além disso, Fernanda tinha em mente os nomes dos empresários, tanto pequenos quanto grandes, que estavam envolvidos em negociações. A confiança de Pacovan em Fernanda Costa era profunda, especialmente porque ela também ocupava o cargo de gerente no Posto Joyce, onde ele foi executado.

No entanto, há cerca de seis meses, o empresário passou a suspeitar de irregularidades financeiras nas contas bancárias de Fernanda, que, por sua vez, começou a exibir sinais de enriquecimento. A desconfiança aumentou quando ele e o namorado o “Cearense”, expandiram seus negócios na cidade.

Desde então Pacovan decidiu realizar uma espécie de prestação de contas interna, examinando o dinheiro sob o controle de Fernanda Costa. Foi então que ele descobriu um grande desfalque, o que levou ao rompimento entre eles. No entanto, Fernanda se comprometeu a reembolsar todo o dinheiro que estava faltando, sendo que o débito ficou parcelado em dez cheques. Pacovan deveria receber a primeira parcela exatamente no dia em que estava viajando de São Luís para Zé Doca, exatamente no dia em que foi assassinado.

As investigações seguem e o casal está à disposição da Justiça.

Do Blog do Minard